terça-feira, 29 de abril de 2014

Collor, um julgamento 100% político

Por Fernando Castilho

Lula afirmou em entrevista a RTP, que o julgamento do mensalão foi 80% político.
Foi generoso com o STF, em minha opinião.
Mas a reação de Joaquim Barbosa foi imediata, segundo a Folha. O que está entre parênteses é por conta dela:

(é algo que merece) ''o mais veemente repúdio'' (e mostra que o petista não entende o papel reservado ao Judiciário numa democracia.)
''A desqualificação do Supremo Tribunal Federal, pilar essencial da democracia brasileira, é um fato grave que merece o mais veemente repúdio. Essa iniciativa emite um sinal de desesperança para o cidadão comum, já indignado com a corrupção e a impunidade, e acuado pela violência. Os cidadãos brasileiros clamam por justiça.''

segunda-feira, 28 de abril de 2014

Mídia, um partido clandestino

Por Fernando Castilho



Os panfletos do partido clandestino
Esqueçam PT, PSDB, PMDB, PSB e outros.
Esqueçam.

O partido com mais poder no Brasil não é nenhum desses. Ele não tem sigla, não tem presidente nem número.

Nele não se vota, antidemocrático que é. E por não ser democrático, ajudou há 50 anos atrás a derrubar a democracia do Brasil. E ainda hoje estimula golpes de estado.

Dispõe de tempo ilimitado na TV, dentro ou fora do horário político. Às vezes nem percebemos que está a fazer propaganda, pois utiliza-se de mensagens subliminares.

Não tem plataforma política, projeto ou programa para o Brasil. Tem para si próprio mas não os revela. Nem poderia, pois são contrários aos interesses da grande maioria da população. Limita-se a criticar qualquer medida que seus adversários tomam, mesmo que sejam boas para a Nação. (continue lendo...)

Dilma passará de fase?

Por Fernando Castilho

A Presidenta Dilma Rousseff está jogando o game mais importante de sua vida. Se passar de fase, terá mais quatro anos à frente do Governo do Brasil. E as políticas sociais continuarão a serem implementadas.
Porém, para chegar lá, cada vez mais obstáculos vão sendo colocados à sua frente, pela oposição e pela grande mídia.

quinta-feira, 24 de abril de 2014

Rosa Weber abre uma janela de oportunidades aos tucanos

Por Fernando Castilho


Por mais que ache que já vi de tudo, que o meu saco de indignações já estivesse abarrotado até a boca, sempre aparece alguém teimando em me produzir uma nova.

É o que aconteceu quando a Ministra Rosa Weber concedeu liminar aos políticos da oposição que solicitaram que a CPI da Petrobrás fôsse exclusiva, não a condicionando a uma investigação do caso do trensalão e de outras irregularidades cometidas em estados governados pelos tucanos e pelo PSB.

terça-feira, 22 de abril de 2014

Alckmin, rolando o lero

Texto por Fernando Castilho

Rodrigo Gomes
O Sistema Cantareira está com 5,1% de seu volume de água, um triste record . A situação é extremamente preocupante para a população do mais importante estado da Federação.

Com a falta de água e com as perspectivas nada animadoras para o futuro, as indústrias começam a cogitar a transferência de suas plantas para outros estados, o comércio e os serviços já acumulam prejuízos sem retorno, e o povo já se prepara para enfrentar 5 dias por semana sem tomar banho.

É certo que a economia do país será duramente afetada. Pela sua importância, por ainda ser a locomotiva do país São Paulo puxará o PIB nacional para baixo, ao mesmo tempo em que eleverá a inflação. E o governo federal mais uma vez será apontado pela mídia como sendo o responsável.

Mas e o Governador Geraldo Alckmin? Este não se abala. Não precisa. A grande mídia lhe dá cobertura. Tranquilo.

Os culpados, segundo o Governador, são São Pedro e você, paulista, sim você, que é um desperdiçador contumaz de água, certo?

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Marina, a esfinge

Por Fernando Castilho

Charge: Pataxó - pataxocartoons.blogspot.jp

Tal qual a famosa esfinge que teima em ficar à frente das três grandes pirâmides do Egito, Queops, Quefren e Miquerinos, Maria Osmarina Marina Silva Vaz de Lima é um mistério.

Mas, ao contrário da esfinge, Marina pode ser decifrada, ou quase.

domingo, 13 de abril de 2014

A Estrela Sobe

Por Fernando Castilho

Acabei de assistir há pouco a entrevista de Lula aos blogueiros.
Trata-se de uma discorrência sobre inúmeros fatos que mereciam há tempos uma análise de quem, como Eduardo Guimarães do Blog da Cidadania muito bem lembrou, é o maior analista político do país.

Lula continua o mesmo. Fala bastante. Mas é uma fala que não cansa, muito pelo contrário, sempre cria a expectativa de uma surpresa, como quando defendeu as manifestações, mesmo que sejam feitas por pessoas mascaradas. ''Se o sujeito quer se manifestar usando máscara, pode ser porque não quer que a família o reconheça, ou a namorada...sei lá.''


E lá se foram 3 horas e meia passadas muito rapidamente, como quando a gente assiste a um filme muito envolvente, mostrando um Lula levíssimo, sem rancores ou mágoas.
A entrevista foi dada aos mais influentes, importantes e íntegros blogueiros de nossa internet. Gente do porte de Fernando Brito do Tijolaço, Miguel do Rosário do O Cafezinho, etc..

Ao contrário do que a imprensa noticiou, não foi uma entrevista chapa branca. Foi uma entrevista honesta e histórica.
Ocorre que, a opção de Lula por dar uma entrevista aos blogueiros, incomodou fortemente a mídia enciumada.
E Lula explicou sua escolha: se concedesse a entrevista aos jornais, estes publicariam alguns destaques somente.

quinta-feira, 10 de abril de 2014

O Grande Segredo de Lula

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Mídia quer Lula?

Por Fernando Castilho

Como se esperava. Dilma caiu na pesquisa do Datafolha. 6 pontos.
Enquanto a pesquisa ainda estava nas ruas, o mercado financeiro já tinha informação de sua queda.

Não é pra menos: antes da pergunta sobre a preferência do eleitor, havia outras 47 questões sobre todos os problemas que o país vive hoje, vários deles causados não por incompetência do governo Federal, mas sim de governadores e prefeitos, como aquela sobre a insegurança. E não havia nenhuma questão que envolvesse boas realizações, como Bolsa-família, Minha Casa Minha Vida, Pronatec, PAC, menor desemprego da História, etc.. Veja mais, abaixo em ''O Golpe da Pesquisa''.

Divulgado o resultado, observamos que Dilma caiu de 44% para 38%.
Aécio Neves permaneceu em 16%.
Eduardo Campos subiu de 9% para 10%.
Ou seja, Dilma cai e ninguém sobe. Ainda vence no 1° turno.
Mas, para onde foram os 6% que ela perdeu? 1% foi para Campos, mas e os outros 5%?
Para descobrir a resposta, devemos lembrar das 47 questões prévias.
Muitas pessoas, ao terminarem de responder às questões, deixam de se sentir à vontade para expor seu voto ao entrevistador. São tantas as mazelas elencadas no questionário, (e colocadas de forma a responsabilizar Dilma) que o eleitor acaba por não se sentir à vontade para expor sua preferência sua preferência.
Não chega a mudar seu voto. Mas passa a se declarar indeciso, ou vota em branco.

sábado, 5 de abril de 2014

Justiça, mãe e madrasta

Por Fernando Castilho

Já falamos aqui neste blog sobre os dois pesos e duas medidas.
José Dirceu foi condenado sem provas, baseado na teoria do Domínio do Fato, somente.
Eduardo Azeredo, apesar de inúmeras e consistentes provas, teve seu processo enviado para o Tribunal de Minas Gerais em primeira instância, o que lhe garante recurso em caso de condenação. O processo levará anos e, com certeza, os crimes prescreverão.

sexta-feira, 4 de abril de 2014

O Golpe da Pesquisa

Por Fernando Castilho

Nas eleições presidenciais de 1989 a Rede Globo de Televisão promoveu um debate no 2º turno entre os candidatos Fernando Collor de Mello e Luís Inácio Lula da Silva, em que o primeiro revelou nesse debate um assunto de caráter íntimo familiar de Lula: um filho fora do casamento.

O debate ocorreu até altas horas, o que impossibilitou que muitas pessoas o assistissem. Por isso, a Globo fez uma edição, apresentando seus ''melhores momentos'' no Jornal Nacional do dia seguinte. A edição mostrava um Lula atrapalhado e apagado (devido ao golpe baixo sofrido)e um Collor senhor de si. Isso influenciou fortemente o eleitorado, sendo responsável pela vitória de Collor.

quinta-feira, 3 de abril de 2014

Alckmin, o homem invisível II

Por Fernando Castilho

Notaram? Sempre que sai na mídia alguma notícia, denúncia ou comentário envolvendo o Governo de São Paulo, quase nunca o nome de Geraldo Alckmin é citado?
O fato é que a imprensa tem procurado esconder e afastar o governador de qualquer escândalo ou fato grave que ocorra no Estado. Como se não fosse com ele.
Alckmin tem sido o governador invisível durante muitos anos.
Senão, vejamos:

terça-feira, 1 de abril de 2014

Sobre 1964: O vergonhoso editorial da folha de sp

Por João Sette Whitaker

O editorial de 30/03 da Folha de SP é vergonhoso. De arrepiar. Um apanhado de opiniões veladas e de argumentações falaciosas que, ao defender o "respeito comum às regras e a renúncia à violência como forma de lutar por ideias", acaba transformando a ditadura em um "longo e doloroso aprendizado". Ao tratar os vinte anos de nefasta ditadura como um "aprendizado" - ou seja, em que o lado positivo prepondera - a Folha, em um discurso travestido de democrático, na verdade a legitima. 
Antes de ler meu post, aconselho que leiam o editorial, clicando aqui.