domingo, 26 de julho de 2015

A agenda do sangramento de Dilma

Por Fernando Castilho

Maria Fernanda Arruda em seu ótimo e esclarecedor texto de 24 de julho no Correio do Brasil, mostra-nos o que os jornalistas da grande mídia escondem: caso o TCU condene Dilma Rousseff no caso das pedaladas fiscais, o caso irá para a Câmara dos Deputados, onde será necessária maioria absoluta, ou seja, 2/3 dos votos dos parlamentares para que a presidenta seja cassada. Impraticável.

O senador Aloysio Nunes, talvez em ato falho (está se tornando comum entre os tucanos, não?), entregou qual é a estratégia de seu partido, ou seja, sangrar a presidenta até 2018.

Portanto, vamos esquecer impeachment, cassação ou outro mecanismo legal que ponha fim ao seu governo.

Na visão deste blogueiro, o TCU vai ainda ocupar manchetes de jornais, dando visibilidade ao seu presidente, Aroldo Cedraz e cumprindo a agenda do sangramento. É muito útil neste momento em que é preciso manter a expectativa da população que deseja o impeachment num crescendo.

Mas não fiquemos surpresos se as pedaladas forem aprovadas. O desgaste da oposição com sua mais que certa derrota (e vitória de Dilma) ao não conseguir os 2/3 na Câmara, terá que ser evitado a qualquer custo. Aécio e Aloysio sabem disso.
As contas de campanha, como também bem lembrou a articulista, já foram aprovadas pelo TSE, portanto, tudo que se falar sobre possível impeachment por doações de empreiteiras envolvidas na Operação Lava Jato (que também doaram a Aécio), será apenas para vender jornais àqueles que gostam de viver suas fantasias golpistas.

Ou seja, pelas vias legais não tem como, pois a presidenta não é desonesta e até a oposição reconhece isso, vamos combinar. Mas, então Dilma pode dormir tranquila? Não haverá golpe?

Estamos falando da estratégia da oposição e não dos sonhos da direita e extrema direita, hoje claramente encarnados na grande mídia que precisa urgentemente de salvação.
Explico: todos os jornais impressos e editoras das principais revistas semanais estão em péssima situação financeira. O Estadão está a venda há muito tempo, a Folha vê sua tiragem encolher a cada ano e a editora Abril já está pedindo recuperação judicial.

Há tempos que a mídia sonha com dinheiro do BNDES para sua salvação, sempre negado por Lula e por Dilma. Uma sacolejada na atual situação poderia ser sua tábua neste mar desfavorável para elas.

Além disso, como foi Dilma que começou esta história de investigar e prender corruptos, há quem certamente precise que tudo volta a ser como antes. Tem gente que respira, come e bebe corrupção e neste governo não está tendo vez. Imaginem a Polícia Federal e o Ministério Público atrelados novamente ao governo. Seria o adeus à Lava Jato, Operação Zelotes e à investigação do escândalo HSBC, que tanto agradaria a Globo, a políticos e grandes empresários.  

Outra coisa: Dilma é um empecilho para aqueles que querem ganhar dinheiro às custas do Brasil. Para aqueles que querem vender bem barato o pré-sal para os americanos. Para aqueles que querem continuar a privatizar para faturar. Para aqueles que querem sucatear a Petrobras para depois fazerem uma venda bem barata e encherem seus cofres.

É por isso que são todos contra Dilma.

O golpe, se viesse, não seria paraguaio, seria truculento, ao arrepio da Lei.

Porém, se Dilma fosse defenestrada ilegalmente, podemos estar certos de que haveria convulsão social, o que não interessa ao mercado e aos setores conservadores, ainda mais num momento delicado da economia. Os prejuízos seriam enormes.

Bem, então Dilma continua? Continua.

E quanto à Lula?

Lula estava quietinho. A mídia quase se esquecia dele.

Mas o sapo barbudo colocou a cabecinha para fora ao insinuar que poderia ser candidato à presidência em 2018.

Pronto, agora é preciso cortar sua cabeça.

O que representa para a plutocracia a candidatura de Lula em 2018?

O homem ainda é praticamente imbatível, não só por ter sido o melhor presidente que o Brasil já teve (as pesquisas indicam isso), mas também porque a oposição não tem ninguém que possa competir com ele.

Aécio tem falado e feito muitas bobagens, além de estar envolvido na Lava Jato.
Serra, apesar da tarja preta, foi desmascarado como também citado no mesmo esquema.
Alckmin governa num mundo de faz de conta. Faz de conta que não há racionamento de água, faz de conta que não há violência policial, faz de conta que deu aumento para os professores e que não havia greve, etc..

Se Lula vencer, serão, para desespero dos setores conservadores, 20 anos de PT, com direito a mais 4, caso tente a reeleição...

É por isso que vemos diariamente o desespero da mídia tentando de qualquer forma criminalizar Lula em toda e qualquer oportunidade. Vai que uma dá certo...

A Veja desta semana, cumprindo essa agenda, bem que tentou de novo anunciar a prisão do ex-presidente, amparada em...nada.

Nunca há fontes, provas, documentos. Nunca há nada.

Lula acaba de discursar dizendo-se de saco cheio com os ataques à Dilma. Não é só com os ataques à presidenta que ele está inconformado.

Não temos certeza de que o homem dispute realmente as eleições, afinal, ele já estará com 73 anos e vindo de uma dura luta contra um câncer.

Mas do jeito que as coisas vão, o monstro político está sendo muito cutucado com vara curta. Se emergir, estará ferido, portanto, com muita adrenalina e gana de vencer.

O melhor indicativo de sua volta à luta será quando começar a congregar as massas, a viajar pelo país e a se fazer no meio dos movimentos sociais, o que certamente será fator importante em re-unir o PT, dar novo oxigênio às lideranças já combalidas, agregar outras forças de esquerda em torno de um novo projeto que combata o crescimento da direita e a fascistização de certos setores da sociedade.

E Lula segue malhando...


Um comentário: