sábado, 8 de agosto de 2015

Uma leitura sobre o cavalo de pau da Globo

Por Fernando Castilho


Em junho de 2013, logo após os protestos do Movimento Passe Livre, Roberto Irineu e João Roberto foram convocados pelo caçula José Roberto para uma reunião urgente em sua casa.

Haviam acabado de assistir ao Arnaldo Jabor vociferando contra os protestos e babando de ódio.

José Roberto expôs uma ideia que havia tido aos 2 irmãos.

A Globo passaria a aderir aos protestos e, aos poucos tomaria conta e os direcionaria para o fim desejado que era fazer despencar a popularidade da presidenta Dilma. (Dilma despencou 27% em junho, pelo Datafolha)

João Roberto foi contra. Acho bom não mexer com isso. É muito complicado e perigoso.

Mas o mais velho, Roberto Irineu, decidiu pelos três. Olha pessoal, a ideia é boa. Se ela perder as eleições o Aécio assume e aquela grana do BNDES tá no papo.

Aécio perdeu.

Por isso nova reunião entre os irmãos aconteceu.

Desta feita, Roberto Irineu assumiu a liderança e propôs aproveitar a onda de impeachment que a oposição insuflou. ''Vamos dar todo apoio todos os dias nas pautas do jornal. Qualquer coisa contra Dilma e Lula tem que ser publicada. Poupem os tucanos. Que nada sobre o FHC saia. Vamos apertar essa mulher até onde der. Temos que ter certeza de que essa história de regulação da mídia não avance. Além disso, essa chantagem branca pode nos render a grana do BNDES que precisamos, o cancelamento da cobrança do imposto de renda que já está em um bilhão, lembrando ainda que venderemos jornal pra ca..., que é isso que precisamos, certo?. Mãos à obra!''



O texto acima é ficção mas sinta-se à vontade quem achar que a ficção não pode ser realidade...

Fica claro, com ficção ou não, que a Globo manipulou as cabeças e insuflou o golpe até onde pôde. E talvez fosse até o fim com a empreitada.

O que a brecou neste momento, então?

Seria a bomba no Instituto Lula?

A notícia da bomba praticamente foi ignorada pela Globo. Uma vez ignorada, muito pouca gente soube ou levou a sério (exceto os petistas mais antenados) mas mesmo assim, na internet a indignação foi muito grande, culminando com o abraço ao Instituto Lula que reuniu mais de 3 mil pessoas.

Talvez esse tenha sido um dos termômetros pelo qual os irmãos se guiaram.

Outra coisa, parece que havia uma percepção no ar de que opiniões começavam a ficar divididas uma vez que ficou flagrante que o juiz Moro da Lava Jato só prende petistas e deixa tucanos e peemedebistas soltos, como Eduardo Cunha (você não sentiu isso?).

Ficou claríssimo que durante o programa de TV do PT o panelaço só aconteceu praticamente nos bairros mais nobres, enquanto que nas periferias as pessoas parece que se preocuparam em assistir. Ôpa! Isso acende um alerta amarelo. Será que começou a haver uma divisão de opiniões entre ricos e pobres? Um acirramento entre as classes?Muito perigoso isso.

Mas talvez o passo decisivo para o cavalo de pau da Globo tenha sido mesmo Aécio e o senador Cássio Cunha Lima afirmarem que seriam convocadas novas eleições para preservar a soberania do voto popular. Mais hipocrisia que isto, impossível.

A Globo pode ser tudo, mas não é boba.

Essa sede de poder dos tucanos agindo em todas as frentes para derrubar uma presidenta eleita, sem acusação nenhuma de ilícitos poderia causar uma revolta popular muito grande. Ainda mais quando se falou nas últimas semanas sobre a possibilidade da prisão de Lula, ao arrepio da lei.

É claro que se isso se concretizasse teríamos convulsão social e das grandes, podendo evoluir para uma guerra civil.

A Fiesp e a Firjan enxergaram a mesma coisa. Como produzir e vender produtos se além de uma crise econômica há uma crise política que certamente ampliará a econômica como uma bola de neve? Esse é um risco que os empresários não querem correr.

Então Roberto Irineu Marinho deve ter dito: ''basta!''

Dilma não cedeu à chantagem da Globo.

De que valeria agora correr o risco de ser novamente chamada de apoiadora do golpe, como em 1964?

De que valeria uma convulsão social e uma crise política que causaria desemprego em massa, queda de investimentos estrangeiros, queda de produção e consumo? Como manter as assinaturas de jornal? Como manter a audiência da Globo que já vem caindo, se as verbas publicitárias escassearem?

A Globo deve enfim ter enxergado que a crise política só serve aos tucanos e a Eduardo Cunha que atira pra todos os lados tentando melar o jogo, mas não serve a ela.

Os colunistas agora vão ter que se virar pois construíram uma plataforma de ódio e preconceito, orientados que foram pelos patrões.

A Globo, todos sabem, manda na mídia do país. Tá certo, aqui e alí, na tv o SBT e a Record tem ocasionalmente sido desafetos, mas nada que rompa com um acordo tácito de décadas. E muito provavelmente Folha e Estadão acompanharão a Globo.

Aécio, como fica?

Dependente (no bom sentido, gente) como é da mídia, a partir de agora parece que não há futuro para ele. Tiririca talvez passe a ser menos palhaço que Aécio.

Aposto que o seu João, que estava pronto para participar da manifestação do dia 16, ao assistir ao Jornal Nacional que cobriu a entrega das casas do Minha Casa Minha Vida, pela primeira vez, ao ouvir o discurso de Dilma, comentou com dona Maria: sabe, acho que a Dilma é uma pessoa decente. Estão cometendo injustiça com ela.

Este é o poder. É o 4° poder que manipula corações e mentes.

E é claro que, em se tratando de Globo, pode ter mais coisa aí...Portanto, olho aberto porque nada está definido.

Resta saber se esta nova atitude da Globo persistirá ou é apenas uma jogada, uma espécie de armadilha.

Acompanhemos.

Mas há novos ventos.




2 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir